sábado, 8 de janeiro de 2011

Você.


Desde o início era você. Eu negava e fingia que era aquele outro. Mas era você. Só você. Você com sua mania de fazer caretas sempre que eu te olho sorrindo, só para me fazer sorrir mais ainda. Você que tem a voz doce e calma que é contraditória ao seu corpo musculoso e definido. Você que está do outro lado, mas que ainda sim está ao meu lado. Você que faz meu coração apertar, meu coração disparar e meu coração parar por milésimos de segundos. Você, só você. Sempre foi você.

E eu tive mais certeza ainda que era você quando, na virada do ano, nós passamos muito tempo conversando ao telefone. E eu queria te dizer que queria muito te dar um abraço, mas não disse. E eu queria te dizer o tanto que você era importante, mas não disse. Conversei normalmente e apenas deixei as lágrimas caírem quando desligamos aquele aparelho eletrônico que é uma das únicas formas de te aproximar.

Um dia desses eu parei para fazer uma contagem do tempo, para relembrar algumas coisas e uma onda de choque me atingiu quando eu me lembrei há quanto tempo você está em minha vida. E mesmo que eu não admita: é também há quanto tempo eu sou apaixonada por você. Eu sou apaixonada por você desde a primeira vez que conversamos e você não faz nem ideia. 

Eu comecei a pensar sobre o fato de ocultar tanto sentimento de você e coloquei na minha frente os prós e os contras. Eu não te conto, mas todos que sabem do meu sentimento insistem que você deve saber. E se você souber, vai acontecer o quê? Porque você está aí do outro lado da tela, do outro lado da linha, do outro lado do país e eu sou só a sua grande amiga que você nem sente tanta falta assim. Ou será que eu sou mais do que isso? Será que eu já fui mais do que isso e agora não sou mais? Porque você me confunde, você age de maneiras diferentes de acordo com as fases da lua e eu sei que esse é só o seu jeito. Mas pra mim, isso é muito mais. Isso é o motivo para meu dia ser lindo ou para o meu dia escurecer assim ó, num estalar de dedos. 

Você não tem culpa porque você não sabe, você nem sabe que está lidando com uma apaixonada-dramática-sonhadora. Você acha que está lidando com uma amiga que se ofende de vez em quando porque você está muito ausente, mas a verdade é que você está lidando com um coração. Um coração que é inteirinho seu. Será que eu tenho que te fazer enxergar? Será que eu tenho que te fazer ouvir esse tum-tum acelerado do meu peito? Ou será que eu tenho que dar mil passos para trás, rebobinar totalmente a fita e começar de novo essa nossa história? De um jeito que eu não tenha sentimentos além de um belo carinho de amiga por você...

Não sei o que fazer, só sei que eu tenho medo e eu não quero trocar o certo pelo duvidoso. Eu não quero correr o risco de perder sua amizade. O fato de saber que você está na minha vida é reconfortante e já me deixa feliz. Entende? Espero que sim. Quer dizer, você não entende nada... Você nem sabe que esse texto está sendo escrito. E se por acaso você souber que esse texto está sendo escrito, você nem vai sonhar que esse "você" é você mesmo.

2 comentários:

Anônimo disse...

LINDO!! AMEI

Once upon a time... disse...

Nossa,lindo texto!