sexta-feira, 22 de abril de 2011

Para os seus pais.

Mãe, Pai. Heroína e Herói,

Não somos aquela família perfeita que qualquer pessoa desejaria ter uma igual. Até porque, pai, você mora do outro lado da cidade há quatro anos. Eu tinha apenas 13 anos de idade e começou a surgir o assunto de que iríamos nos mudar, a empolgação extrapolava pelo meu peito até que no dia em que o último móvel entrou pela porta desse apartamento e eu já estava exausta demais, bem, nesse dia eu ouvi uma das notícias que mais me doeu: vocês iriam se separar. Eu não entendia, vocês nem brigavam tanto assim, qual era o problema? Mas eu parei de fazer tantas perguntas porque eu não me importava com as respostas, nada mais importava. Veio, então, uma das piores fases da minha vida... Tudo que eu fazia era chorar porque eu não queria que minha família se desmoronasse daquele jeito... Mas eu era apenas muito nova para entender que vocês estavam se separando e isso não tinha nada a ver comigo. Vocês continuariam sendo meus pais e nada mudaria isso.

Eu sei que na maioria vezes eu não demonstro, mas saibam que aquele abraço que eu dou em vocês é um dos movimentos mais sinceros e cheios de amor que eu faço. Quando é necessário, eu tenho que cuidar de vocês também e saibam que isso não é nenhum sacrifício, não é nem metade de tudo que vocês fazem ou ainda vão fazer por mim. Nós temos nossas diferenças e daí saem as brigas e isso me machuca, mas não demora muito para fazermos as pazes. Vocês sempre me apoiam antes de qualquer pessoa: vocês me apoiaram sem se importar se mais alguém me apoiaria e se vocês não achavam certo, vocês apenas me mostravam que não era aquele o caminho que eu devia seguir.

Eu adoro tudo em vocês e eu adoro o fato de vocês fazerem tudo que está ao alcance de vocês e meu peito se enche de amor quando vocês tentam fazer até o que está fora de alcance e muitas vezes eu penso que eu não mereço tudo isso e mesmo não sendo uma família perfeita, vocês são os melhores pais do mundo. Muitas vezes, eu sinto raiva por alguns motivos, mas nada disso diminui o meu amor que só sabe crescer. Eu peço desculpas por alguns deslizes ou por alguns grandes tombos,  mas tenho que dizer um 'muito obrigada' por estarem ao redor para me segurarem. A dor de vocês sempre será minha também, o sorriso de vocês sempre será meu e vice-versa, eu sei.

Eu daria minha vida por vocês, meus verdadeiros amores,

Sua filha.

Essa é a terceira carta de 30.

Um comentário:

Lara Oliveira. disse...

Que maravilhoso! Meus pais também são separados, e era mais nova quando isso ocorreu, é, não é fácil mesmo.
Não existe no mundo pessoa mais importante que a nossa família. Não é?
Beijos